Loading...

Questões de educação e cultura

Apesar dos índices positivos em educação, Florianópolis ainda precisa avançar, especialmente no que tange à qualidade e atratividade do ensino.


No ensino fundamental, a taxa de aprovação nas redes pública e privada são elevadas. O que preocupa são os anos finais do ensino fundamental e, mais ainda, o ensino médio. Na dependência estadual, esse índice é de 63,6% (Relatório FTQB, 2012).


O aluno é considerado em situação de distorção idade-série quando a diferença entre a idade do aluno e a idade prevista para a série é de dois anos ou mais. Percebe-se que a distorção idade-série eleva-se à medida que se avança nos níveis de ensino no município. Em 2014, entre alunos do ensino fundamental, 7,1% estavam com idade superior à recomendada nos anos iniciais e 18,3% nos anos finais. A defasagem chega a 20,5% entre os que alcançam o ensino médio (Portal ODM, 2016).



graf 10.png


O IDEB é um índice que combina o rendimento escolar às notas do exame Prova Brasil, aplicado no último ano das séries iniciais e finais do ensino fundamental, podendo variar de 0 a 10. Florianópolis, em 2013, estava na 1.760ª posição, entre os 5.565 municípios do Brasil, quando avaliados os alunos dos anos iniciais, e na 3.159ª, no caso dos alunos dos anos finais. Quando analisada a sua posição entre os 293 Municípios do Estado, Florianópolis está na 173ª posição nos anos iniciais e na 225ª nos anos finais (Portal ODM, 2016).

graf 11.png

Entre os principais  desafios da educação em Florianópolis estão o abandono da escola por jovens no ensino médio e a taxa de aprovação nos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio, o que está relacionada a falta de atratividade do ensino, conforme discutido no quadro a seguir.





Fonte: Relatório FTQB, 2012.





{{determinateValue}}%

 



×